Notícia Voltar

 

01/08/2017

Alunos do curso de Cozinheiro do Senac produzem livro de receitas para Centro Municipal de Educação Infantil

Autor: Ascom - Senac/ AL
Fonte: Ascom - Senac/ AL
 

Eles buscavam as técnicas para conquistar o título de cozinheiro. Mas não esperavam que, em meio às aulas de controle e organização de estoque de cozinha, elaboração de produções culinárias, e elaboração e preparação de cardápios do curso de Cozinheiro do Senac seriam desafiados a ajudar crianças de 2 a 5 anos a se alimentar melhor. “O desafio era ir além da sala de aula, em uma ação social, e eles surpreenderam”, conta Maryjane Alencar, uma das instrutoras da turma responsável pela produção do livro “Sabores da Infância” que reuniu doze sugestões de receitas para compor o cardápio das crianças do Centro Municipal de Educação Infantil Professora Sônia Maria Souza Cavalcante, localizado no bairro do Bom Parto.

 

Ao longo dos 6 meses de dedicação ao projeto, trabalho desenvolvido como atividade prática durante as aulas do curso, os alunos realizaram uma visita técnica ao centro de educação e, junto com a instrutora do curso Técnico em Nutrição do Senac, Thaysa Oliveira, identificaram a carência nutricional das crianças. Surgia, então, o primeiro desafio a ser vencido: pesquisar e elaborar receitas que suprissem essa deficiência de vitaminas e minerais. Logo depois, eles foram desafiados a construir receitas que incluíssem os produtos da agricultura familiar – como a banana da terra, a macaxeira e a batata doce – a custo baixo, possibilitando à família replicar as produções em casa. E, por último, elaborar pratos livres de gordura, açúcar e sal, e agradar ao paladar dos pequenos. “Eles também promoveram uma campanha de arrecadação de utensílios para a cozinha da escola e conseguiram 38 itens – entre panelas, facas, copos e talheres – que foram doados para a administração do lugar”, emociona-se Maryjane, satisfeita com o resultado final. “Foi uma aprendizagem significativa, um projeto que eles abraçaram e desenvolveram de forma colaborativa”, elogia.

 

A prova final foi realizada no dia 18 de julho, quando a turma produziu os pratos na cozinha da escola e serviu para as crianças. Entre a Bananinha do Mar com Farofa de Cuscuz, o Escondidinho de Banana da Terra, o Molho de Melancia, as Almôndegas de Soja, o Nhoque de Macaxeira, a Pizza de Macaxeira, o Arroz Colorido, o Purê Assado, o Bolinho de Batata Doce Recheado com Frango, o Bolo de Milho, o Sorvete de Banana com Farofinha Doce e a Casquinha de Frutas, os campeões de elogios foram a pizza e o bolo. “Nossa preocupação era agradar ao paladar das crianças e fazê-las comer bem, de forma prazerosa. E conseguimos. Foi gratificante”, conta Vanderlan Barros, 29, um dos alunos da turma.

 

Realizado dentro do Modelo Pedagógico Senac, que propõe a vivência da prática significativa, com a compreensão do que e para que aprender, onde, quando e como aplicar na vida, o curso proporcionou uma formação ampla aos alunos que finalizaram as aulas no dia 27 de julho e já receberam propostas para participar da semana de formação de cozinheiros da rede municipal a fim de repassar as técnicas aprendidas durante o curso que culminaram na elaboração do livro de receitas.   

 

 

Ana Maria Caetano, 18, uma das alunas, estava em dúvida sobre qual profissão seguir. Chegou a começar a graduação em Economia, mas logo viu que não estava feliz. Segundo ela, a Gastronomia sempre foi uma paixão e, por isso, resolveu investir no curso de Cozinheiro do Senac por meio do qual desenvolveu a aptidão para a confeitaria. “Já estou me organizando para dar início a mais um curso na área, o de Confeitaria. No Senac, descobri minha vocação e agora sei exatamente aonde quero chegar. Com o livro de receitas, esperamos despertar nos pais o interesse em buscar alternativas simples, saborosas e saudáveis para suas crianças”, anima-se. “Os alunos cumpriram todas as etapas do projeto, desenvolvendo as competências exigidas para a prática da profissão de Cozinheiro e foram além, desenvolvendo também o lado humano e a preocupação com o bem-estar do outro”, parabeniza a pedagoga Leila Santos.

 

“O projeto contribuiu para a melhoria dos hábitos alimentares na escola e, ao utilizarmos no cardápio os produtos da agricultura familiar, fortalecemos os pequenos produtores e contribuímos para a economia local. Ficamos muito felizes com o resultado desse trabalho”, destaca Arlete Domingos, diretora do Centro Municipal de Educação Infantil Professora Sônia Maria Souza Cavalcante.